Como definir a precisão de um scanner intraoral? - #sejadigital com a be-in

Como definir a precisão de um scanner intraoral?

Na odontologia digital, há a discussão sobre os scanners existentes no mercado quanto à sua precisão. Para conseguir realmente avaliá-los, é necessário entender as definições e o que isso altera na rotina do profissional. Sendo assim, como definir a precisão de um scanner intraoral?

Primeiro, vamos entender o significado dos dois termos:

Precisão significa a aptidão de um instrumento de medição fornecer indicações muito próximas, quando se mede sob as mesmas condições.
Ela define o quanto um instrumento é capaz de reproduzir um valor obtido numa medição, mesmo que ele não esteja correto. Quanto maior o desvio padrão, menor é a precisão.

Já a exatidão é a aptidão de um instrumento para dar respostas próximas ao valor verdadeiro do objeto mensurado que, após uma série de medições, nos fornece um valor médio próximo ao real, mesmo que o desvio padrão seja elevado, ou seja, apresente baixa precisão.

Se um scanner intraoral recebe a qualificação de preciso, não significa necessariamente que ele está sendo fiel ao registro documentado. Para que se possa ter a maior fidelidade no equipamento, além da precisão, ele também precisa ser exato.

Como isso se aplica no escaneamento intraoral?

A exatidão mede o quão próximo o scanner replica o dente que está sendo escaneado.
E a precisão refere-se a quão consistente os resultados do escaneamento estão corretos.

O que isso significa para o dentista?

A exatidão é imprescindível para melhor adaptação, assentamento das restaurações, implantes e outros dispositivos.

a precisão é importante, pois a técnica de escaneamento varia de operador para operador, o que pode mudar a consistência dos resultados. Se o scanner tiver grande precisão, ele fornecerá dados corretos suficientes para que ele tenha sucesso na documentação.

Se você está em busca de informações sobre odontologia digital, possivelmente ouvirá que o scanner “x” é mais preciso, ou ainda, que todos possuem o mesmo nível de precisão e isso seria suficiente. O importante é saber que há diferenças entre os scanners sim (mesmo que sutis), mas não é só isso que importa para definir o sucesso da sua documentação, há questões como técnicas de escaneamento, qualidade nos preparos protéticos que complementam a qualidade do resultado final!

Gostou do nosso conteúdo? Quer receber mais?

Clique aqui, deixe seu contato abaixo e mantenha-se atualizado sobre odontologia digital!


Compartilhe este post!

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
Share on whatsapp