Redação

Redação

Passo a passo da moldagem digital com implantes

Não há uma técnica de moldagem digital para implantes exclusiva ou melhor. Cada fabricante preconiza uma, cada operador se adapta a uma. Porém, há alguns requisitos imprescindíveis para o bom resultado de uma moldagem digital independentemente do tipo de escaneamento. São eles:

  1. Posicionamento do paciente – o paciente deve estar posicionado o mais confortavelmente, desde que a posição do antebraço do operador fique paralelo ao solo, sendo mais confortável para o procedimento e inserção da ponteira do scanner intraoral.
  2. Higienização – deve-se fazer profilaxia prévia, com a remoção de cálculos, maquiagem dos lábios e de outros dispositivos intraorais como aparelhos removíveis e placas.
  3. Conforto ao paciente – os lábios devem estar hidratados para minimizar desconforto durante o processo de moldagem digital.
  4. Cuidado com a área a ser moldada – mantenha a área o mais seca possível. Para isso, pode-se utilizar soluções adstringentes e dispositivos para absorção de saliva nas saídas dos condutos de glândulas salivares, como parótida e sublingual.
  5. Cuidado com sangramento – a captura das imagens é prejudicada em casos de sangramento, principalmente em áreas de términos de preparos. A hemostasia é imprescindível para a correta moldagem digital.
  6. Afastamento gengival – nas áreas de preparos, é fundamental a realização de fios afastadores para garantir a exposição completa do término do preparo.
  7. Manter foco desligado – no ato do escaneamento, a única luz necessária é a emitida pelo scanner intraoral. Qualquer outra pode criar reflexo durante o escaneamento e atrapalhar a captação da imagem.
  8. Protocolo be-in – nós temos como protocolo que seja garantida a captura de pelo menos 5mm de gengiva inserida e do palato completo.

Protocolo para Escaneamento intraoral em implantes

  1. Realize o escaneamento dos arcos superior e inferior, incluindo a área do implante para captura de perfil de emergência. Comece sempre pelo arco antagonista.
  2. Realize o escaneamento do registro oclusal. Ele pode ser feito antes ou depois do escaneamento da área de implantes, desde que sem os dispositivos de transferência do implante estejam posicionados.
  3. Recorte a região do implante com as ferramentas disponíveis no software de captura.
  4. Posicione o dispositivo de transferência do implante conhecidos como jig de escaneamento, scanpost ou scanbody no implante e repita o escaneamento agora com ele em posição.
  5. Realize o escaneamento do registro oclusal caso não tenha realizado anteriormente, mas não esqueça de remover o dispositivo de transferência do implante.

Um bom escaneamento é resultado de treino e prática. Os protocolos, como falamos anteriormente mudam conforme fabricante, no entanto, estabeleça sempre um padrão que garanta uma boa construção da malha e assim, assertividade no fluxo digital.

A be-in, pensando em contribuir com quem quer aprender a fazer um bom escaneamento e a conhecer protocolos de tratamento, fará um curso para esse assunto em específico. Quer receber o lançamento em primeira mão? Clique aqui e diga que tem interesse!

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
Share on whatsapp

O que tem mais na be-in

Tecnologias de Escaneamento para Odontologia – Parte 1

Como surgiu o scanner intraoral na Odontologia? Foi na década 1970 que François Duret apresentou conceito de como utilizar tecnologias de digitalização da indústria adaptadas para odontologia.

Alinhadores, quando tudo começou.

Década de 1940 Em 1945, um ortodontista americano chamado Harold D Kesling inventou um aparelho removível projetado sob medida funcionava de maneira semelhante a um protetor bucal. Feito de

Verified by MonsterInsights