Sou recém-formado, como inserir o digital na minha rotina? - #sejadigital com a be-in

Sou recém-formado, como inserir o digital na minha rotina?

A odontologia digital cresce a cada ano e os desafios enfrentados pelos profissionais são inúmeros – desde familiaridade com os equipamentos (manuseio, principalmente), entendimento de como funciona um fluxo digital e as variáveis que influenciam o resultado final desde o escaneamento, passando por planejamento e fresagem ou impressão.

No entanto, você que faz parte da geração digital, que tem tanta tecnologia envolvida no seu dia a dia, tem um grande diferencial e vai te ajudar (e muito) a obter os benefícios da odontologia digital e destacar-se de profissionais com décadas de profissão. Só atenção para não perder o “timing“!

Um dos seus maiores desafios hoje é conquistar clientes, garantir satisfação no tratamento e assim expandir seu negócio, certo?

Não há nenhuma outra ferramenta que te ajudará mais com isso que o escaneamento intraoral. Ele promove conforto ao paciente, alinhamento de expectativas do tratamento, agilidade e comunicação em outro nível – tudo devido à imagem maximizada, em 3D e sua incrível precisão que te ajudarão a estabelecer todos esses pontos.

A partir daí vem a primeira pergunta – como vou conseguir comprar um scanner intraoral? Desembolsar de 99k a 160k logo no início de carreira? A resposta é simples – não vai.

O mercado odontológico, considerando todos os dentistas, apenas 10% tem condições financeiras de adquirir um equipamento nesse valor. Os outros 90% dos profissionais serão digitais a partir da terceirização do serviço do escaneamento. Mas como isso funciona?

  1. Você contrata um empresa especializada em escaneamento intraoral.
    O que a empresa faz é ter uma equipe treinada em escaneamento intraoral e dispor de scanner intraoral para que você contrate o serviço.
    É importante estar atento a algumas exigências do CFO – existe uma resolução, a CFO 207/2019, que determina que apenas dentistas podem realizar escaneamento intraoral, ou TSB sob supervisão de um dentista. Caso essa resolução não seja cumprida, você pode chegar a ter suspenso o exercício da sua profissão (pra você entender como esse assunto é sério).
  2. Realiza o agendamento com a empresa e o paciente.
    No dia e hora marcados, o dentista contratado vai com o scanner intraoral e realiza o escaneamento no paciente – para todos os tipos de casos clínicos.
  3. A empresa envia os arquivos e informações do atendimento.
    O que já te ajuda com informações a serem compartilhadas com o seu paciente, enviando as imagens iniciais e até a formalização da proposta do tratamento.

O que você deve estar ansioso em saber é com relação ao custo – completamente possível de se absorver na proposta do paciente. Os valores variam de acordo com o tipo de escaneamento – um escaneamento ortodôntico por exemplo é mais barato que um de prótese. Essa variação fica entre R$ 180 a R$300,00.

Gostou da possibilidade? Como falei no começo do texto, apenas atenção com o timing – os profissionais estão correndo atrás de absorver essa tecnologia, mas você tem um diferencial de estar mais familiarizado. Aproveite e inclua o digital na sua rotina já!

Compartilhe este post!

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
Share on whatsapp